Primo

Sinto iriadas, intimas, nervosas

Estranhas sensações. Dor e alegria.

Quando se ama é como quando as rosas

Abrem-se a vez primeira à luz do dia.

A  mesma embriaguez deliciosa,

A mesma inconsciência que se sente,

Sente-as, porém o coração da rosa

Nesta contemplação do sol no oriente;

E num só dia mesmo o astro apaga

E converte da flor em gelo e calma

Todo este ardor de uma alma vaporosa.

Ah! Não te apagues nunca da minha alma

Estranha sensação que me embriaga

Da embriaguez dulcíssima da rosa!

Fernando de Castro (1891)

Deixe seu comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s