Eu tenho medo!

Outro dia em uma conversa com minha mãe, ela comentava sobre a minha determinação e coragem de seguir em frente diante das adversidades. E me perguntou se ela não tivesse me incentivado a estudar, trabalhar e buscar uma carreira, se eu teria fugido de casa.

Sem pestanejar eu respondi que sim teria fugido de casa para seguir meus sonhos, na realidade com incentivo ou não eu faria tudo de novo.  Para ser mais sincera ainda, faço isso sempre, trabalho muito e não me arrependo de passar quase metade do meu dia ou mais envolvida em assuntos profissionais. Não me limito diante das adversidades e estou sempre pensando em alternativas de ação.

Faz parte de mim, essa coisa meio louca de levantar cedo e ir para o trabalho, até mesmo quando o trabalho se encontra na sala ao lado (como é em alguns dias em que faço home office). Essa coisa de ter muitos e-mails para ler e responder, assuntos diversos para analisar e tratar, equipe para gerir, projetos para gerenciar e uma agenda lotada de reuniões, faz parte da vida que eu escolhi. E se tiver que mudar de cidade, estado ou país, podem ter certeza que vou em busca desse desafio.

E para confessar a vocês eu tenho medo de pensar que essa poderia não ter sido a minha vida.  Mas ainda bem que eu tive escolhas e eu optei por realizar o ambicioso sonho de seguir a carreira que desde muito nova desejei.  Amo tecnologia e amo pessoas. Quando posso unir os dois me sinto a pessoa mais realizada do universo.

Para mim uma rotina de 12 a 14 horas diárias é cansativa sim, mas não escondo que também é prazerosa.  Um dia de altos e baixos faz parte da vida de qualquer profissional e lógico o processo de automotivação deve rodar rapidamente todas as semanas.  As vezes a energia cai, mas nada que um período de reflexão e ajustes não ajude na retomada das rédeas.

Não me incomodo com os rótulos que são impostos ainda hoje as mulheres que optam por uma carreira e demonstram ambição em crescer. Sei que em pleno século XXI ainda há preconceitos e desigualdades, mas isso é um combustível e tanto para eu continuar buscando o que almejo de crescimento profissional.

Eu tenho medo é de não ter o que almejar, os rótulos podem vir sem problema, porque na realidade sei quem eu sou e o que posso fazer. Os rótulos não me definem, e a única barreira ao meu crescimento será a minha mente se eu deixar que os comentários ao meu redor penetrem em minha alma.

Eu tenho medo é de não fazer acontecer na minha vida seja ela pessoal ou profissional.  Quero e vou arriscar sempre, porque uma sonhadora como eu não tem medo de arregaçar as mangas e seguir em frente.  Eu tenho medo é de estagnar, paralisar e não ter alternativas para evoluir. Só perde e quebra a cara, quem arrisca. E eu posso dizer que entre as perdas e ganhos, a balança dos destemidos sempre tende para o lado dos ganhos.

E como já dizia o compositor Renato Teixeira:

“Os caminhos todos temos mesmo um dia que passar
O sentido desta vida é ir em frente, caminhar
O amor é uma flor que nasce em qualquer lugar
E essa flor um dia a gente colhe…”

Deixe seu comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: