Eu não sou uma ilha

Ninguém é uma ilha em si mesmo. Cada um é uma porção do continente, uma parte do oceano…”

John Donne

Partindo dessa frase penso no quão difícil é para algumas pessoas socializar. Tirando os profissionais de áreas comerciais alguns profissionais que me procuram para conversar, sentem uma enorme de dificuldade de estabelecer novos relacionamentos nos ambientes por onde passam. Costumo dizer a eles que um bom exercício para desenvolver essa habilidade começa na vida cotidiana deles.  Só depois de se adquirir certa confiança eles devem avançar para o ambiente profissional.

Mãos à obra você também que está lendo esse post e precisa estabelecer pontes. Afinal nenhum de nós é uma ilha isolada, precisamos diariamente nos relacionar em maior ou menor grau.  Já fui muito tímida e precisei me esmerar no desenvolvimento das habilidades de comunicação.  E para quem acha que me comunico bem, posso dizer que devoro tudo o que posso sobre o assunto. Isso porque viver numa sala com internet, luz e meu computador me deixam muito feliz. Escrevo horas a fio sem pensar em comer, dormir e me comunicar com as pessoas.

Um dia um amigo brincou que não me imaginava assim, pois sou muito ativa no Facebook, mas é que eu não acho que o FB serve como comunicação. É uma crença minha nessa era de compra-se likes. Mas a grande verdade é que eu amo o ócio criativo do silêncio. Estar no meio dos meus livros me fazem esquecer de qualquer coisa. Então vou te dizer como faço para voltar a vida real e estabelecer minhas pontes com outras pessoas.

Começo com a agenda, reservando um tempo para conversar com as pessoas, sim isso mesmo, nem que seja via webcam. Mas eu gosto mesmo é de sentar num barzinho, cafeteria ou praça de alimentação de shopping e jogar conversa fora olhos nos olhos.

E se não tenho companhia testo diferentes abordagens com pessoas estranhas e sempre rola um papo diferente.  No início eu fazia isso em eventos de família e amigos, procurava sentar ao lado de pessoas que eu não conhecia ou com as quais ainda não tinha estabelecido uma relação mais próxima. O importante é iniciar as conversas, se enturmar onde você estiver e logo você vai começar a fazer isso de uma forma muito tranquila no ambiente profissional.

Lógico que um bate-papo requer pelo menos o interesse de duas pessoas para que possa evoluir, mas não dá para prever tudo, apenas comece. Eu já puxei papo com gente que me deixou falando sozinha (rsrs).  Se você foi convidado para um evento, busque assuntos associados ao mesmo para iniciar a conversa, não fique ansioso e fale sempre sobre pontos positivos.  Pessoas positivas atraem mais contatos.

Com a condução do papo busque pontos em comum para estabelecer oportunidades de contatos futuros. Peça e-mail ou o número do celular, hoje uma boa desculpa para isso é a troca de fotos digitais. Então se coloque a disposição para ajudar com alguma informação ou apresentação de alguém que pode ser útil ao seu novo contato. É assim que as relações se estabelecem, quando nos colocamos a disposição para servir ao nosso próximo.

Bem pode ser que você também fique falando sozinho algumas vezes, mas tudo bem. Ah! Qualquer coisa, fale comigo que estou sempre procurando gente nova para conversar. Até mais.

 

Deixe seu comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: